↔ 27

risco uníssono enerva
a casca, o sumo, a flora virgem
o limo adianta a luz por vir
extrata o néctar taciturno
rio desgrenhado na selva

os pés, o finco, a visão desencontrada
encontro sob estrelas, sob lágrimas
as folhas sombreiam até o esturrico e queda
os fios chegam aos fios
dourados aos pratas… dor calada

amor amada
paixão cru
gudes escancaradas sem clarão
verdes, louças e brilhos
placa de reflexo
o nós como tu

importância ardida
ardência dolorida
a névoa, o desfoque, o sol
o rosto sorumbático fixo e dançante
a cabeça é uma pedra que a mão segura… só!

riso uníssono ecoa
chora nada correnteza
‘ah se não fosse o amor
e a força incrível do seu reator’
liras e homens na moldura solúvel e imaterial

azul da cor do vestido azul
clarinho, amarelinho, nasce
das profundezas do oceano
peculiaridade da portuguesa
a língua e o alvo pra dizer te amo

através do olho rubro

↔ 26

vontade sufocante de chorar
sem respirar, sem lugar, sem reconhecer
que matérias são essas que me tocam e que eu as toco?
que ar é esse, sem fluxo, sem falta de cor escura?
e tantas correntes na convergência dos pingos dos olhos
e a represa, represália, porteira cruel
que amarga em nós de caminhoneiro e pescador
o choro velado ao redor
é claramente a prisão de um rio violento dentro de um corpo só
seu lugar não é aqui!
seu lugar é onde eu estiver!
eu não estou, eu não vou, não sei
só sei que carrego nesse meu corpo ocante, esvaziante
amargura, tristeza, decepção, falência, desespero e ódio por (pela falta de) você!
sem perdão.
não perdoo tamanha desconsideração. Tamanha crueldade.
não perdoo e te odiarei pelo resto da minha vida com todas as minhas forças!

as lágrimas sempre saem
rasgando a alma e relembrando todo o meu ódio
e lembrança do estrago e do não esforço

I was sadly mistaken / too hurt to dance

↔ 25

You’ve been my golden best friend
You’ve been my soulmate and than some

You’ve been my soulmate and than some
I remembered you the moment I met you
With you I knew God’s face was handsome
With you I saw fun and expansion

This loss is numbing me
It pierces my chest
And I can’t stop dropping everything

If they call it heartache,
if they call it heartache
why is the rest of my body aching?
Why is the rest of my body shaking?
Please, Mr. DJ
Won’t you turn the music down?
Why can’t you understand?
I’m to hurt to dance
Tonight

I’m barely making sense for now
I’m faking it till I’m pseudo making it
From scratch begin again but this time “I” as “I”
And not as “we”

I thought we’d be simple together

I thought we’d be happy together
Thought we’d be limitless together
I thought we’d be precious together
I thought we’d be sexy together
Thought we’d be evolving together
I thought we’d have children together
I thought we’d be family together
I thought we’d be genius together
I thought we’d be healing together
I thought we’d be growing together
Thought we’d be adventurous together
Thought we’d be exploring together
Thought we’d be inspired together
I thought we’d be flying together
Thought we’d be on fire together
But I was sadly mistakenBut I was sadly mistaken*Not as we (Alanis Morissette) / Simple Together (Alanis Morissette) / Too Hurt to Dance (Duffy)

itinerância de lá e de cá

↔ 24

mesa e amigos momentâneos
cervejas de rótulos aluídos e duvidosos.
cintra, itaipava, devassa e ovos.
coloridos. dança das cadeiras. devassa com cigarro
aniversário, problemas interiores e cutâneos

os fracos para a esquerda
os fortes seguem em frente para a próxima parada
popozudas e os lekes na entrada
passa, passa… vamos na oferta mais esquema

pague 4 e tome 5 heinekens
volta os fragatas da noite para 2 antárticas
aipim frito, danças e pauladas
volta os cães arrependidos com as suas orelhas fartas

saideira com a promoção
as verdes ficaram no três
desabafo de convivência, choro de cansaço
bermudas, chinelas, xadrez
praia de icaraí e abraços

casa. dia meio morto
dois de novembro
a propósito, mortos de cansaço
casa da flor, tchau pro porteiro
flor na água com açúcar
dormi o dia inteiro

repente

↔ 23

acalma a mente
relaxa o corpo
cancela à frente
esquece o rosto

sen título

↔ 22

1

deixar
sim arisco
sumiço, pois
a escrita afunda
nem alguém supôs
a preguiça resmunga
uma das crises inunda
de uma ‘loucura’, oriunda
nem vê, nem pensa, nem faz
e a falta de criatividade abunda

de uruca a itapuca

a pedra de itapuca

↔ 21

no meio do caminho tinha uma Pedra
uma pedra carioca, fluminense, verde e amarela, brazuca
feliz do atleta bem treinado
faro fino e olho arregalado
pulando nos milhões de metros as urucas
ora arredio, focado, ora (pouco) cansado
penso, paro, refresco a goela
água do céu, água da cumbuca
o bom é que a gente transforma
quem dera, meu deus, que todas as pedras já  fossem de Itapuca

Entradas Mais Antigas Anteriores